O que é câncer

Em condições normais, as células do corpo humano se dividem organizadamente. O câncer aparece quando esse processo escapa ao controle e as células multiplicam-se desordenadamente, formando o tumor. Quando essas células se organizam em determinado local do corpo, formam um tumor primário. Por outro lado, quando elas se espalham e alcançam outras partes, dão origem a novos tumores, em um processo chamado metástase.

O local onde aparece o tumor primário – pulmão, ovário, útero, boca, laringe, intestino, próstata, pele etc. – define o tipo de câncer. No entanto, cada tumor, independentemente de onde esteja no corpo da pessoa, tem comportamento biológico único e diverso. É como dizer que cada tumor tem sua própria assinatura genética e molecular.

Por essa razão, duas pessoas, com um mesmo tipo de câncer (por exemplo, um câncer de ovário) podem receber orientações de tratamento completamente diferentes. Isso porque o médico oncologista deve considerar o tipo de câncer, as características próprias do tumor, como acontece a interação com o sistema de defesa do organismo do portador, além de analisar como será a reação do corpo do paciente aos medicamentos administrados. São muitas variáveis e nem todas são conhecidas. Cada paciente oncológico é único e, portanto, tem tratamento planejado de forma individualizada. Conforme os resultados obtidos, o médico oncologista pode redirecionar o planejamento terapêutico inicial.

Diagnóstico precoce

Um dos únicos aspectos comuns a todos os tipos de câncer é a importância do diagnóstico precoce. Quanto mais cedo for diagnosticado um câncer, maior é a chance de sucesso. Com o tratamento correto aplicado na fase inicial da doença, um câncer pode ser curado ou se tornar uma doença crônica com a qual o paciente convive, preservando boa qualidade de vida.

Desde os tempos em que as pessoas evitavam pronunciar a palavra câncer, preferindo dizer “aquela doença” ou algo parecido, houve muita evolução em relação a diagnóstico, tratamento e cura da doença. Hoje, muitos tipos de câncer têm chances de cura acima dos 90% quando diagnosticados precocemente.

Fatores de risco

Embora a maioria dos tumores malignos ainda tenha suas causas desconhecidas, sabe-se que há fatores ambientais capazes de estimular o aparecimento da doença. Exemplos: tabagismo, má alimentação, excesso de exposição ao sol, alcoolismo, prática de sexo sem proteção, além de condições nocivas em ambientes de trabalho. Todos esses fatores podem ser evitados diminuindo as chances do desenvolvimento de um câncer. Vale ressaltar que de todos os tipos de câncer, apenas 10% são hereditários (herança familiar), ou seja, não têm ligação com fatores ambientais e estilo de vida.

Convênios

Veja a lista de convênios credenciados pelo Instituto de Oncologia Marcello Fanelli e verifique a cobertura de seu plano de saúde.

Veja a relação

X